• 11 Dezembro 2016
  • CBT
  • 1762

Brasil discute procedimentos e técnicas para garantir segurança em túneis Destaque

Os melhores e mais renomados especialistas em segurança de engenharia subterrânea do país estiveram reunidos em São Paulo nos dias 6 e 7 de dezembro para discutir inovações, tecnologias, normas e procedimentos que envolvem segurança, operação e manutenção de túneis em três grandes áreas de aplicação: rodovias, metrovias e ferrovias de carga. O I Simpósio de Segurança, Operação e Manutenção de Túneis, realizado pelo CBT - Comitê Brasileiro de Túneis concentrou o tema pela primeira vez no Brasil em um único evento e gerou discussões técnicas e contribuições de altíssimo nível. A abertura feita pelo Presidente do CBT e da Associação Internacional de Túneis - ITA, engenheiro . Tarcísio Barreto Celestino.

“Alcançamos plenamente nossos objetivos tendo em vista o elevado nível técnico das apresentações e discussões, comemora Eloi Angelo Palma Filho, coordenador do Simpósio e Secretário Executivo do CBT. “Esse resultado decorre, principalmente, da pluralidade dos profissionais envolvidos. A repercussão foi tão positiva que, paulatinamente, o assunto segurança irá aderir ainda mais aos trabalhos do CBT, fazendo com que o segmento mais focado à obra civil dos túneis (projeto, construção), considere já nessas etapas as peculiaridades dos Sistemas de Segurança e Operação”.

 

Incêndios

No primeiro dia de apresentações, a palestra do Chairman do Comitê de Segurança da Associação Internacional de Túneis (ITA-COSUF), e Diretor da STUVA – Alemanha, Roland Leucker, sobre o Estado da Arte na Segurança de Túneis despertou muito o interesse do público. Leucker ilustrou o tema com vários cases, experiências e testes realizados em seus país envolvendo medidas de segurança e estruturais em túneis, especialmente os bidirecionais, incluindo sistemas de extração da fumaça, evacuação e sinalização. Falou também sobre os sistemas implantados na Alemanha nos túneis metroviários, e testes de incêndio em escala real realizados na Espanha. Na visão do coordenador do Simpósio, Eloi Angelo Palma Filho, das discussões decorrentes das apresentações e talk shows, certamente o ponto de maior polêmica foi quanto à aplicação de sistemas fixos de combate à incêndio do tipo sprinkler ; ou equivalentes. “Isto porque é um tema que ainda não alcançou uma convergência técnica internacional, explica ele. “Atualmente existem fortes argumentos técnicos e econômicos para se ter ou não esses sistemas implantados em túneis e vimos essas discussões refletidas aqui também no Simpósio.”

 

 

Temas plurais e convergentes

Os talk shows, apresentados nos dois dias com temas diferentes e convidados especiais tiveram a participação expressiva do público. No dia 6, terça-feira, o tema foi Projetos, Especificações, Normativas, sob a moderação de Helio Roberto Sabino Jacob. Participou o representante da ABNT Antony Brown, Eloi Ângelo de Palma Filho, da Empresa de Planejamento e Logística e Secretário Executivo do CBT, Ênio Kato, da Nittoguen, e o Capitão do Corpo de Bombeiros de São Paulo Max Alexandre Schoroeder.

Na quarta-feira, dia 7, o talk show Execução, Comissionamento e Operação, teve como moderador o eng. Ricardo Miranda, da empresa Mirabit, e as contribuições de, Alfredo Luis Nativio da HHTEC, Flávio Matsuyama, da Planserv, Luciano Lourenço da ANTT, Paulino Rego, da Kapsch e Rafael Sánchez Toston da Geocontrol, que veio da Espanha especialmente ao Simpósio, para compartilhar as experiências vividas naquele país.

Os conteúdos das palestras estão disponíveis no site do evento:

http://simposio2016.tuneis.com.br/